Como é a exposição de Lego “Art of The Brick” – com detalhes e precisão cirúrgica

De acordo com estimativas (que tô inventando agora) 98,9% da população mundial é apaixonada por Lego.

Sabendo do fascínio que adultos, crianças, adolescentes, cachorros (deixa uma pecinha por perto pra ver) e seres vivos sencientes em geral tem pelo brinquedo, um artista plástico genial chamado Nathan Sawaya – que desde pequeno também era fascinado pelos blocos de construção – caprichou numa exposição de arte feita toda só em peças de lego: The Art of The Brick.

E como você tem só até o dia 22 de janeiro pra aproveitar, esse post vai mostrar logo o que te espera, com detalhes, preços, fotos, gifs e precisão cirúrgica. É tanta coisa que talvez eu esteja fazendo um desfavor à exposição, porque você já vai descobrir muito aqui, e vai que pensa “ah, nem preciso pagar pra ver lá” (mas precisa, vai sim).

ATUALIZAÇÃO EM JULHO de 2017: a exposição fez tanto sucesso que VOLTOU! Agora no Village Mall, e vai até agosto. Quem ainda não foi, pode aproveitar a oportunidade voltando aí!

Como é a exposição de Lego?

The art of the Brick já correu o mundo inteiro, fez um sucesso enorme, e agora chegou ao Brasil, mais especificamente no Rio de Janeiro, lá no Museu Histórico Nacional (que volta e meia tem exposições sensacionais, como a Diálogos no escuro que já recomendei aqui). [Lembrando que até agosto tá no Village Mall, hein!)

art-of-the-brick-4

No circuito tem pelo menos uns 5 ambientes diferentes, com estátuas da grécia antiga, esculturas de animais, seres humanos sofredores, quadros de celebridades e até dinossauros em “tamanho real” de lego.

dinossauro-gigante-de-lego-the-art-of-the-brick
graur

Mas vale avisar um negócio: imagina uma exposição bem cheia. Então…The Art of The Brick é mais.

lego-gigante-na-exposicao-the-art-of-the-brick
“me dá”

Quando você vai chegando na porta do Museu, vê uma fila quase dando a volta no local, a depender do horário que vá (então talvez eu não tenha errado naquela estatística no começo do texto).

No entanto, indo no último horário possível (a partir das 17:00), lá costuma ficar um pouco mais vazio. No primeiro horário do dia também deve ficar muito mais agradável.

semaforo-de-lego-the-art-of-the-brick-nathan-sawaya
“me dá”

E se você for durante a semana, talvez consiga pegar a exposição bem mais vazia. Sexta, sábado e domingo, no entanto, prepare-se pra “sofrer”.

Tem loja pra comprar Lego lá?

É difícil ver um monte de escultura de Lego exposta e não ficar morrendo de vontade de comprar tudo. Então quando chega lá pelo fim da exposição, na última salinha, você acha “o que interessa”: A LOJA.

E aí prepare-se. Porque tem camiseta com imagens de obra de arte de lego, chaveiro, livro, pôster, bolsa, ímã de geladeira, e o principal: MUITO LEGO. MUITO. Uns que você provavelmente nunca nem viu na vida, muitos de Star Wars, e um tanto mais de coisa.

museu-historico-nacional-the-art-of-the-brick-lego
escrevi “nossa, tem TAANTO de Lego” e aí posto essa foto aqui com as prateleiras quase vazias…

Os preços não são lá “nossa, que preço bom”, mas quando que a gente já viu lego a preço bom no Brasil? (Obs: Se você viu em algum lugar, me manda nos comentários onde, por favor)

Em um outro ambiente da loja você também vai poder brincar com os blocos de montar, em bandejas gigantes cheias de peças, e jogar alguns jogos de Lego em fliperamas dispostos pela salinha.

Quanto custa?

A entrada é 20 reais (valor inteiro). Tem meia pra estudantes, deficientes, idosos e menores de 21 anos apresentando documento.

Só atente pra um detalhe: a partir de determinado horário (geralmente lá pelas 16:40), as meias esgotam, e você só pode entrar se pagar inteira.

Dá pra comprar seu ingresso antes, se quiser evitar isso (link com mais informações aqui).

Achei um valor bacana, porque te permite ver não só a exposição, como também garante a visita ao museu inteiro (que é um passeio bem interessante por si só, aquele lugar é muito gostoso) depois ou antes de andar no circuito de Lego.

museu historico nacional rio de janeiro area externa.jpg
jardinzinho gostoso do Museu Histórico Nacional

E tem gratuidade também pra crianças de até 2 anos, guias de turismo, professores de rede pública estadual e municipal, e de escolas particulares.

art-of-the-brick-6
o que eu disse antes sobre “esculturas de seres humanos sofredores”

Veredito da Art of the Bricks

O Nathan Sawaya é brilhante, não tem muito o que discutir. As esculturas são todas maneiríssimas, algumas muito tocantes, e a cada nova que surge no caminho é provável que seu dedinho fique neurótico pra tirar foto. Rola fila, aliás, pra tirar foto com várias das estátuas.

Pra quem for fã de Lego (ou seja, aquele 98,9% da população mundial) vale passar por lá e curtir a exposição, que tem um preço bem justo. E pros 0,2% que não curtem, ainda tem aquele museu bonito pra caramba, com uma área externa gostosa, um café bacana, mesinhas e cadeiras pra curtir uma tarde agradável por lá.

museu-historico-nacional-3
um dos museus mais gostosinhos do Rio

the-art-of-the-brick-nathan-sawaya

Se você foi, quiser deixar suas impressões nos comentários ou tirar alguma dúvida, manda aí embaixo! E segue a gente no facebook e instagram também!

7 comentários sobre “Como é a exposição de Lego “Art of The Brick” – com detalhes e precisão cirúrgica

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s