O que NÃO fazer nos Lençóis Maranhenses / Barreirinhas / Atins (ou “12 dicas necessárias do paraíso”)

Já tô imaginando você de mão na cintura e carinha de indignação pensando: “milha filha, você tá maluca? Sério mesmo que existe algo que não devo fazer em uma das paisagens mais lindas do mundo?”

E eu realmente pareço maluca por ousar fazer uma lista dessas, mas calma, já esclareço:

Achei os Lençóis Maranhenses uma coisa absurda de linda. Babei naquelas paisagens, fiquei emocionada, caí pra trás quando vi e tudo. Ou seja: é uma viagem que recomendo.

Dicas dos Lençóis Maranhenses (viagem em julho)
Bora lá descobrir essa lindeza que são os Lençóis Maranhenses

Não obstante, rolaram alguns problemas na minha viagem aos Lençóis.

Mas como são problemas totalmente evitáveis, decidi relatar pra evitar que eles ocorram na sua viagem e você volte de lá só com a impressão boa (e não volte com o corpo cheio de bolinha vermelha e uma coceira infernal como eu – falo disso num dos tópicos a seguir).

Bora lá.

O que não fazer nos Lençóis Maranhenses – ou o “lado ruim”/ menos bom dos Lençóis

1 – Não é um passeio que eu levaria minha vó de 86 anos… Não sei se recomendo que você leve a sua

Muitos idosos fazem os passeios aos Lençóis Maranhenses.

No entanto, enquanto eu subia dunas enormes de areia fofa, debaixo do sol escaldante sem absolutamente nenhuma sombra; quicava por quase uma hora e desviava de galhos em jardineiras que cruzavam água, terra, areia, lama; e presenciei uma senhora sendo carregada por duas pessoas duna acima; foi impossível não pensar que pessoas com dificuldade de locomoção ou cardíacas podem não se sentir tão bem nessa viagem.

Apesar disso, cabe ressaltar que vi uma placa perto do Circuito da Lagoa Bonita que dizia ter acesso especial para cadeirantes, então deve existir (ou ao menos espero que exista) alguma forma mais acessível de visitar os Lençóis Maranhenses.

Como dica: a Lagoa Azul tem um acesso menos complicado que a Lagoa Bonita – é dizer: sem uma duna de areia fofa de 40 metros que você precisa escalar com o auxílio de uma corda, como é o caso da Lagoa Bonita.

E uma outra dica no quesito “acessibilidade nos Lençóis”: se hospedando em Santo Amaro, os carros costumam subir as dunas e te deixar mais perto das Lagoas dos Lençóis Maranhenses, o que já pode facilitar bastante o acesso àquelas lindezas.

(Você pode ver opções de hospedagem em Santo Amaro aqui)

No entanto, Santo Amaro é uma cidade com menos estrutura turística do que Barreirinhas, o que já pode dificultar a acessibilidade novamente, e aí você compensa de um lado e descompensa de outro.

Enfim: para pessoas muito idosas, sem preparo físico e crianças muito pequenas, não sei se recomendo os circuitos dos Lençóis Maranhenses. Mas vi idosos e crianças lá, o que deixa claro que vai da percepção de cada um (dá play no vídeo que tem as cenas dos galhos entrando na jardineira e tudo mais):

Se você já foi aos Lençóis com idosos e/ou crianças muito pequenas, fica à vontade pra compartilhar sua visão nos comentários e assim vamos descobrindo as possibilidades (ou impossibilidades) dessa viagem.

2 – Não espere uma viagem pra “relaxar”

Pela descrição de parágrafos acima, já deu pra entender por que os Lençóis Maranhenses não vão suprir seu conceito de “férias relaxantes”.

Além do que falei no tópico 1, tem o detalhe de que a lista de lugares lindos pra conhecer é tão grande, que se você quiser dar conta de (quase) tudo (porque tudo mesmo é impossível), vai ter que acordar bem cedo todos os dias, e voltar tarde também.

Uma parte significativa dos passeios começam às 8 da manhã e voltam quando já está escurecendo/já escureceu.

[Já abre em outra aba pra ler depois daqui: “O lado ruim de viajar sozinha (e o bom também)”]

A parte mais relaxante dos Lençóis Maranhenses é boiar naquelas lagoas lindas e deliciosas. E isso de fato é bem relaxante. Mas tem um detalhe que é bom saber sobre as Lagoas também…

3 – Não espere que todas as Lagoas dos Lençóis maranhenses sejam boas pra nadar

A maioria das lagoas nos Lençóis tem muitas algas, e algumas delas, a depender da época, tem inclusive uns insetinhos na água que podem te machucar.

Mas calma, eu não disse “todas”. Seu guia vai te levar em Lagoas mais propícias pra banho – e nadar nessas daí vai ser absolutamente delicioso e relaxante.

Lagoas dos Lençóis Maranhenses em julho
provavelmente vou postar mais umas 300 fotos dessas lagoas lá no @1viagem2visoes

Uma das experiências mais gostosas em viagem da minha vida foi nadar naquelas lagoas, especialmente porque elas surgem como um prêmio depois da missão de caminhar entre as dunas.

Aliás, é justamente por isso que algumas lagoas ficam famosas e são tão visitadas, e outras não. Ficam famosas aquelas que são mais bonitas e suscetíveis ao banho (embora isso mude a cada ano).

4 – E por conta disso, não espere lagoas vazias

Auto-explicativo. Por motivos óbvios, as lagoas mais gostosas dos lençóis maranhenses são as mais frequentadas mesmo. Mas dá pra fugir da muvuca se você estiver com alguém que conheça bem o local e conheça umas lagoas mais distantes.

3 – Não economize o protetor solar

Dá pra entender bem essa recomendação a partir do tópico 1: “subidas em dunas de areia fofa debaixo de sol escaldante, sem nenhuma sombra“.

Mas na verdade, protetor solar, mesmo com alto fator de proteção e sendo passado o tempo todo, pode não ser o suficiente…  Mesmo que você esteja a personificação da musa/muso do verão, com a pele extremamente curtida de sol, a necessidade de proteção não se dá só por questões estéticas (SAP: evitar virar um pimentão) ou de incômodo (SAP: evitar ficar assado feito uma batata), e sim de saúde (SAP: evitar câncer de pele e outras doenças).

Não à toa, os mais experientes no circuito dos Lençóis costumam ir com camisas de manga comprida, chapéu e até lenço cobrindo o rosto… O que nos leva ao tópico a seguir…

4 – Não faça os circuitos só de roupa de banho: se possível tampe bem o corpo

Uma blusa de manga comprida daquelas com proteção solar já pode quebrar bem o seu galho. É inclusive dessas que muitos guias costumam usar.

Na hora de nadar você pode tirar pra curtir a água gostosa (ou entrar com a blusa mesmo, já que esse tipo é especial pra secar rápido).

5 – Não espere boa internet. Aliás, não espere internet.

Se você não esperar internet nesse passeio, o que vier é lucro. Em geral o sinal nas cidades próximas aos Lençóis é bem escasso. E nos Lençóis é inexistente.

6 – Não espere uma paisagem deslumbrante o ano todo nos Lençóis Maranhenses

A depender da quantidade de chuvas durante o ano, as lagoas secam durante alguns meses. Ou seja: se você for no período errado, pode não ver uma paisagem tão deslumbrante e cheia de lagoas assim, e isso pode, sim, estragar o passeio.

Mas uma boa notícia: agora em 2019 as Lagoas dos Lençóis Maranhenses encheram tanto, que é provável que fiquem cheias até o fim do ano. Aproveita isso e já planeja sua viagem pros Lençóis em 2019!

7 – E na época “recomendável” pra visitar os Lençóis, tudo costuma ficar muito cheio

Existe uma “alta temporada” dos Lençóis Maranhenses, que é justamente quando eles costumam estar mais lindos, com lagoas bem cheias e tudo mais.

Junho, julho e agosto, por exemplo.

Mas em julho ainda junta com as férias escolares, e é impressionante a quantidade de famílias que vão curtir com seus filhos lá (famílias muito sabidas, convenhamos).

E em junho junta com a festa junina, que também atrai muita gente pro Maranhão, então já viu…

Ou seja: espere muitos hotéis lotados, filas de carros pra entrar na balsa, quartos esgotados, eventuais gritarias da criançada nas lagoas, um amontoado de gente nas suas fotos, preços mais altos.

[Leia também: 9 “verdades cruéis” sobre o instagram]

Ou seja (2): faz muito sentido que pessoas visitem os Lençóis Maranhenses nessa época, já que é o período mais lindo e o período de férias (e também o período de São João… ou seja, tudo ao mesmo tempo). Mas ironicamente pode ser meio sacal justamente por causa disso. E não dá muito pra escapar (talvez indo em agosto ou setembro, e correndo o risco de ver as lagoas um pouco mais vazias).

Dicas dos Lençóis Maranhenses - melhor época, o que fazer, o que não fazer
Lagoas gostooosas pra banho em julho

Tendo isso em mente, reserve sua hospedagem com antecedência (você pode ver as opções aqui), coloque na bagagem muita tranquilidade e paciência, e tente nunca esquecer que você está de férias.

Assim você nem esquenta a cabeça com as filas gigantes e as cabeças na sua foto.

Pra dar um exemplo, algo que presenciei durante a alta temporada dos Lençóis Maranhenses: uma família quis voltar mais cedo de um passeio, pra fugir da fila de carros e da balsa.

Mas era um passeio justamente pra ver o pôr do sol, e a família teve pressa pra ir embora antes do sol se por. Ou seja: perdeu possivelmente uma das melhores partes do passeio, porque não estava com paciência pra lidar com a muvuca.

Dicas de viagem dos Lençóis Maranhenses em julho - o que não fazer nos Lençóis, Atins, Barreirinhas
Se possível, nao deixe de assistir o pôr do sol nos Lençóis Maranhenses

Não sei se faz muito sentido ter “pressa” nas férias e perder uma parte bem linda do passeio por não querer encarar filas – e isso em uma temporada que é conhecidamente uma temporada de filas.

Então, como disse, coloque muito protetor solar e paciência na bagagem, pra aproveitar bem os Lençóis.

Tendo isso em mente, você vai curtir (bastante!) os Lençóis maranhenses com fila ou sem. Pode confiar. Vai ser uma das viagens mais lindas da sua vida.

8 – Não espere muita estrutura em Barreirinhas

Sua “base” pra conhecer os Lençóis Maranhenses é a cidade de Barreirinhas (não só ela, na verdade – você pode ficar em Atins e Santo Amaro também – mas Barreirinhas é a mais famosa, e a que conta com mais opção de hospedagem também). Em breve vou escrever aqui como ir aos Lençóis Maranhenses, saindo de São Luís.

Claro que tudo é questão de opinião, mas eu não achei a cidade de Barreirinhas exatamente convidativa. É uma cidade pequena, mas sem aqueles ares gostosos de cidade pequena, sabe como é?

É pequena mas caótica (especialmente se você for na alta temporada). E claro: o sinal de celular costuma ser ruim, e o wi-fi nos hotéis/hostels também (mas isso já falei lá no tópico 5). Atins, por exemplo, tem um clima mais gostoso, mas aí tem menos estrutura ainda, estrada de areia e zero de internet…

Logo…

9 – Nem em Atins

Auto-explicativo.

10 – Nem em Santo Amaro

Auto-explicativo (2).

11 – E o mais importante: cuidado com as mariposas hylesia

Eu comecei a escrever esse relato pensando justamente na urgência em avisar isso: toma cuidado com as mariposas peludinhas do gênero hylesia que você esbarrar por lá. Aliás, se possível, não esbarre nelas. Especialmente se você for uma pessoa muito alérgica.

No final de julho de 2019, quando fui, peguei uma época de superpopulação de mariposas hylesia em Barreirinhas. Elas são mais ativas à noite – e eu sempre nadava à noite. Daí liberaram um pózinho na água – e justamente num horário em que eu estava lá nadando feliz da vida.

E foi assim que descobri que sou tremendamente alérgica a esse bichinho. Surgiram erupções vermelhas por quase todo meu corpo (braço, barriga, pescoço e coxa, principalmente), que ardiam, coçavam de uma forma desesperadora, e eu nem conseguia dormir – acordava no meio da madrugada me coçando em desespero.

Eu sentia (ainda sinto, pois ainda estou no meio da crise alérgica enquanto escrevo) pontadas/alfinetadas de tanta coceira e meu braço ficou de um jeito assustador. Não sei explicar. Nunca senti nada igual. Dias depois descobri que uma criança teve a mesma coisa e foi parar no hospital.

Se você leu isso tarde demais e já está com os sintomas de alergia à hylesia: tome banhos frios (só frios, não tome banho quente, ok?), não coce (é fácil falar, eu sei… e sei bem, porque tô alérgica enquanto escrevo isso e com vontade de me coçar), e faz uma compressa de água fria que ajuda bastante a aliviar.

Se possível tenha atendimento médico pra te receitarem o remédio mais adequado pro seu caso (provavelmente um anti-histamínico).

Se você leu isso antes de ir pros Lençóis Maranhenses (ainda bem), dá perfeitamente pra prevenir: observe se tem mariposas ao redor; se você for uma pessoa muito alérgica (tamo junta), use roupas de manga comprida pra se proteger, pergunte sempre ao hotel/hostel se houve algum caso de pessoa alérgica após nadar na piscina, veja se tem mariposas na borda ou na água, e evite banhos quentes.

(Foto motivacional pra você não desanimar de ir só por causa da mariposa)

E o principal: NÃO encoste na mariposa. Meu caso se agravou porque eu, tontamente, vi uma mariposa se afogando e fui tirar ela da água (fui muito tapada, realmente, pode rir… mas dá um desconto, que eu não fazia ideia que essa mariposa me causaria um estrago).

Você pode imaginar como fiquei depois daí. Chegava a sentir dor, de verdade, com a onda de sensação de coceira e agulhada que veio com força. Então só toma cuidado pra não fazer a mesma tapadisse que eu, e vai correr tudo bem.

12 – E uma percepção muito pessoal: não achei a viagem aos Lençóis Maranhenses barata

Dá pra economizar nos Lençóis Maranhenses, e fazer a viagem mais econômica possível? Olha, dar, . Até porque, dá pra economizar até em Aruba (se bateu curiosidade de como fiz uma viagem econômica pra ilha mais feliz do Caribe, leia aqui).

Mas a viagem em si, não achei “econômica”, por mais que você se esforce.

Primeiro, porque no período em que as lagoas ficam mais lindas, as passagens encarecem.

Você pode pegar uma promoção excepcional (fica sempre de olho), mas normalmente os preços não são tão convidativos nos melhores períodos dos Lençóis, e variam entre 700 a mais de 1000 reais nessa época do ano (preços estimados em 2019, partindo do Rio de Janeiro e Guarulhos).

Depois, porque não dá pra fazer os passeios “por conta”, então você necessariamente vai pagar por um tour todos os dias que for aos Lençóis.

E ainda, quase toda vez que te levarem a um passeio, vão fazer uma parada em restaurantes (essas paradas costumam fazer parte do passeio mesmo, não dá pra “fugir” muito delas), e esses restaurantes não são baratos.

Os almoços costumavam bater na casa dos 96 reais pra duas pessoas. Pedindo uma bebida, dificilmente sai menos de 50 reais por pessoa (eu levava garrafa d’água – os carros oferecem um coolerzinho pra gelar).

Daí olha só: você já gasta, necessariamente, aproximadamente 80 reais num passeio (lembrando que tem passeios mais caros que isso) e 50 no almoço. Pronto, já gastou, no mínimo, 130 reais por dia aí nessa brincadeira (e esse definitivamente não vai ser seu único gasto no dia).

“Mas por que você não ia num restaurante mais barato então, sua bocó?”

Às vezes nem tem opção de restaurante próximo. Ou então nem tem tempo pra isso. Você se sente realmente compelido a comer ali.

Se você quiser realmente economizar, a solução seria levar um lanche reforçado na mochila pros passeios.

E pra dificultar mais ainda a vida dos viajantes econômicos, os hotéis e hostels ficam bem mais caros no melhor período dos Lençóis, por conta da oferta e procura.

Reforço aqui a dica de reservar a hospedagem com antecedência, porque os preços não melhoram com o tempo: só pioram (eu testei).

Em síntese: eu não achei os Lençóis baratos não, mas isso vai da percepção de cada um, igual a questão da acessibilidade.

Já vi muita gente relatando que é baratíssimo (com mais sorte nas passagens, deve ser ótimo). Pode compartilhar sua opinião sobre o valor da viagem nos Lençóis nos comentários também.

Conclusão do que não fazer nos Lençóis Maranhenses:

Minha principal dica, na verdade, é o que fazer nos Lençóis: vá até eles.

Com mariposa hylesia, com insolação, com almoço caro, com perrengue ou não:

Vai valer a pena.

View this post on Instagram

Eu sou mesmo uma pilantra: na foto anterior fiz todo aquele mistério de "oh!!! onde será que essa foto foi tirada?!" só pra atiçar curiosidade, mas tá aí o gabarito (embora muita gente sagaz / fã de CSI já tenha descoberto que era no nordeste): os próximos posts aqui vão ser do MARANHÃO (!!!) __ (Já consigo ouvir daqui seus gritos de desespero "NÃÃO, agora ela vai ficar postando foto do Maranhão por 1 ano seguido no @1viagem2visoes igual fez com Alagoas"… foi você gritando, não foi?) _ Na foto: um momento de realização aquática captado pela minha querida @julia.risca que tornou a experiência de nadar aí ainda mais gostosa _ Vou aos poucos botando mais fotos dessa viagem em: 👉 #1viagem2visoesMaranhão (caramba, não tô nem acreditando que tem hashtag nova…parece até sonho ter conhecido mais um destino lindo no Brasil… me abraça, tô emocionada) _ #muitoobrigadaDeus #nordestemeulindo

A post shared by Maria | 1 viagem, 2 visões (@1viagem2visoes) on

E na verdade, agora você já vai visitar os Lençóis Maranhenses sabendo disso tudo, então sua viagem vai ser só sucesso.

Tendo em mente as dicas acima (especialmente sobre a mariposa), e evitando alguns pepinos, alergias, decepções ou preços exorbitantes, é uma das viagens mais lindas e impressionantes que o nosso país (e o mundo) tem pra proporcionar.

Até o próximo post, fica à vontade pra mandar suas impressões nos comentários, e segue o 1 viagem, 2 visões no instagram e facebook também!


Leia agora: O lado bom e o lado ruim de viajar sozinha (ou “devo ir se Maria Carla não vai?”)

Como tirar fotos ruins na viagem (porque as boas todo mundo acha que já tira)

12 comentários sobre “O que NÃO fazer nos Lençóis Maranhenses / Barreirinhas / Atins (ou “12 dicas necessárias do paraíso”)

    1. As melhores dicas, escritas do jeito mais gostoso de ler!!! Você tem um dom natural que deveria ser descoberto e premiado. Parabéns pelo texto e super obrigada por nos ajudar a evitar os possíveis perrengues. Este destino está em nossa lista de desejos e tenho certeza que curtiremos mais com suas dicas! Obrigada e um beijo.

      Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s