Como é se hospedar no Ritz Lagoa da Anta em Maceió? Uma resenha franca do hotel mais famoso da cidade

Se você tem viagem marcada pra Maceió, o nome “Ritz Lagoa da Anta” já não deve te causar estranhamento – se bem que esse nome “Lagoa da Anta” é estranho mesmo. O hotel (na verdade o baita resort) é um dos mais famosos em Maceió, se não for O mais famoso mesmo.

Pra dar uma noção dessa “famosidade”, o resort é escolhido por Roberto Carlos, Wesley Safadão e Carlinhos Maia quando estão em Alagoas. Presidentes do país também já passaram bastante por lá.

Então tenho que confessar que com toda essa descrição, o Ritz até me “assustava”, e eu nunca imaginava que um dia ia conseguir (con$eguir, sabe?) ficar num resort desse.

Mas a vida me provou errada e foi lá que tive minha primeira experiência num resort 5 estrelas no Brasil, e sem pagar tão caro quanto imaginava. Então vamos começar por essa parte, que é a que mais interessa: os valores do Ritz.

Dá pra se hospedar no Ritz Lagoa da Anta sem ser milionário?

A resposta rápida: sim.

A resposta detalhada: eu fiquei lá graças a uma promoção de baixa temporada. É a primeira dica (e talvez a mais valiosa) que deixo: esteja atento nessas épocas, eles fazem promoções realmente boas, que reduzem significativamente o valor das diárias.

Você pode ver o valor atual das diárias no Booking aqui – e se estiver em promoção, corre e pega. Elas esgotam rápido mesmo, até porque ninguém é besta de ficar papando mosca vendo um resort desse com valor promocional.

Mas independentemente do valor das diárias, o que considero mais importante de focar é o custo-benefício, e se o hotel vai tornar sua experiência na viagem em Alagoas ainda melhor. Será que vai?

Vale a pena se hospedar no Ritz Lagoa da Anta?

Eu nunca recebi uma atenção tão especial em um hotel como no Ritz.

Fiquei realmente impressionada.

E acho que isso já responde a pergunta se “vale a pena”, mas vou explicar melhor.

Apesar do Ritz Lagoa da Anta ser realmente suntuoso – é um resort enorme, com piscinona, piscininha, hidro do lado da piscina, ofurô, spa, academia, quadra de tênis, parquinho pra criança, restaurante com comida gostosa, café da manhã farto que tem até açaí e tapioca (isso sempre me ganha) e vista pra um mar muito verdinho, enfim, apesar de tudo isso, o que me ganhou mesmo foram os detalhes.

Aquele mimo que deixam na mesa pra te recepcionar. Aquela cama com lençol tão gostoso, e tão bem feita que dá dó de deitar. Aquele roupão maior que eu. Aquela toalha que nunca usei uma tão grande – dava pra fazer um vestido longo de formatura com aquela toalha.

Aquele shampoo tão cheiroso que deu vontade de comprar alguma versão 500 ml e aquele sabonete que – meu Deus! – é bom. Onde que você já viu sabonete de hotel bom? Eu nunca vi, se você já viu sabonete de hotel bom envie nos comentários onde mesmo.

Aquele chão tão limpo que eu podia dormir nele – até porque, como eu disse ali em cima, dava dó de dormir naquela cama tão bem feita, com lençol tão impecável.

Aquele funcionário sempre sorridente, bom no que faz e incrivelmente atencioso, que não te trata como só mais um hóspede.

E isso vale pra todos os funcionários.

Aquela comidinha farta, variada e bem feita no jantar e aahh… que saudade tá dando só de falar. Vou parar.

Mas já que falei em comidinha…

Vale a pena pegar o regime de meia pensão no Ritz Lagoa da Anta?

Primeiro eu vou explicar rapidinho o que é o regime de meia pensão, porque tem gente que não sabe – e eu inclusive era uma dessas pessoas, porque nunca peguei um regime de meia pensão na vida até então (nem tinha ficado num resort 5 estrelas no Brasil, então vá lá, eu realmente não sabia muita coisa).

Processed with VSCO with c1 preset
cara de quem tá feliz porque vai poder jantar no hotel

Regime de meia pensão quer dizer que você vai ter seu (maravilhoso) café da manhã e seu (delicioso e confortabilíssimo) jantar incluídos na hospedagem.

Em síntese: no regime de meia pensão só não tem almoço incluído (e bebidas lá são pagas à parte também).

O que é brilhante, porque no horário do almoço você tá é passeando por Alagoas, conhecendo aquele tanto de lugar lindo de lá, e nem deve ficar no hotel mesmo.

“Tá, entendi/já sei o que é regime de meia pensão, mas valeu a pena?”

Achei isso aí de regime de meia pensão a coisa mais bem bolada da história da humanidade: quando acorda você se alimenta bem no café da manhã (o café lá é muito farto), e tem força pra aguentar um dia todo de passeio.

No almoço você vai estar numa praia paradisíaca de Alagoas – e se bobear ainda tá com a barriga cheia do café da manhã.

E de noite, você vai chegar absolutamente esbodegado no Ritz depois de tanto passear (porque convenhamos que tem muita coisa linda pra ver lá, realmente cansa), e vai poder jantar feito um rei (pode comer até cansar – ou até não caber mais no seu estômago) no conforto do hotel, sem precisar sair de lá.

De repente pode ir jantar até de pijama mesmo.

Falando nisso…

Breve história de como eu passei vergonha no Ritz

Numa noite lá eu tava muito cansada e com sono depois de uma maratona-Alagoas (você pode ver a lista dos lugares mais lindos que conheci em Alagoas aqui), porque lá tem tanta coisa pra ver que a gente tem que acordar antes das 5 da manhã às vezes, se tá com tempo curto.

E acabei descendo toda descabelada e de pijama (era um pijama disfarçável, juro) pra comer, só com um casaco grandão por cima, pra disfarçar mais ainda.

Daí sabe Lei de Murphy?

Adivinha quem eu encontro no elevador quando tô toda esbudegada? O Carlinhos Maia, que descobri que ainda por cima era meu vizinho de corredor.

Quis falar com ele, mas além de ser envergonhada e ficar com medo de atrapalhar, ao mesmo tempo eu tava com mais vergonha ainda de falar com qualquer se humano vestida de pijama e com o cabelo parecendo um ninho de um tuiuiú bêbado.

E foi assim que perdi minha provavelmente única oportunidade de falar “oi” em Alagoas com um grande humorista do nordeste. Fim.

Vamos voltar ao assunto agora.

O Ritz Lagoa da Anta é ideal pra que tipo de viajante?

Pros viajantes que gostam de ficar em lugares incrivelmente bons sem necessariamente pagar uma fortuna.

Ou seja, todos.

Mas falando de “perfil” de viajante, o que eu mais vi por lá foi família. Muita família mesmo. Muita criancinha pulando feliz pra lá e pra cá nas piscinas e brincando nos parquinhos, muitos pais felizes nas quadras de tênis, muitas mães felizes no spa, enfim, foi basicamente isso que eu vi (e vi o Carlinhos Maia também, né – só vi mesmo).

Parecia que todas as famílias ali estavam tendo as “férias dos sonhos”.

Não vi muitos casais de namoradinhos jovens, nem grandes grupos de amigos.

Apesar de lá ter quartos fenomenais pra amigos e quartos deliciosos pra casais (sim, eu dei uma olhada em vários quartos diferentes – e inclusive era um mais bonito que o outro, mas em termos de aconchego e beleza, o que ganhou meu coração foram os quartos da categoria Bali).

Tome nota, aliás, se estiver indo em casal e quiser surpreender alguém que você ama: vai de Bali. Achei os quartos deliciosos.

Mas é questão de gosto. Tem quartos com uma pegada mais “moderna”, o Bali é mais rústico, mais “floresta tropical”, mais bangalô gostosinho, mais… Bali, né? Agora que me liguei, o nome não deve ser esse à toa.

Como é a localização do Ritz Lagoa da Anta?

No quesito localização, o hotel pode perder alguns pontos por não ficar no burburinho de Maceió – ou pode ganhar pontos justamente por isso, depende do seu perfil.

Ele fica de frente pra uma praia linda e deserta, que parece até “privativa” do hotel, por ser tão isolada. O bairro é seguro também. Mas como não tem muita movimentação por perto, isso realmente pode ser um inconveniente a depender do seu estilo de viagem.

O Ritz é um resort daqueles que você vai querendo se isolar do mundo ao redor mesmo, esquecer da vida e relaxar totalmente.

Mas você pode fazer todos os passeios possíveis de lá, porque sempre te buscam no hotel (só se fossem loucos pra não buscarem no hotel mais famoso da cidade também). Fico imaginando algum tour falando “ah não, Roberto Carlos, não vamo te buscar aí não, nem insiste”.

Também tem taxistas credenciados (e super de confiança) do hotel, que estão sempre lá na frente, e são muito bacanas.

Mais dicas de como se hospedar no Ritz Lagoa da Anta se você não é o Roberto Carlos (SAP: como conseguir diárias mais baratas):

Além das promoções de baixa temporada (sério, fica de olho nisso), eu também consegui pagar mais barato ainda nas diárias graças um desconto absurdo que a Booking me deu por ser cliente “genius”.

Ainda vou fazer um post detalhado sobre “o que é ser genius”, mas por enquanto vai uma síntese: você consegue o status “genius” no Booking quando reserva com frequência pelo site – uma espécie de recompensa pela “fidelidade” do cliente, como ocorre com acúmulo de milhas, sabe? Já falei nesse guia de “como raios viajar com milhas” aqui (leia o guia, pra economizar nas diárias e futuramente nas passagens também).

Quando você é genius, você vê preços mais especiais ainda.

Logo, eu tive um preço especial dentro de um preço especial.

E ainda rachei o valor com minha (incrível) companhia na viagem, então temos a seguinte situação: a hospedagem num resort 5 estrelas no meio do paraíso (Alagoas) saiu mais barata do que vários lugares não tão bons que já me hospedei na vida.

Mais detalhes sobre o Ritz: como é a piscina do Ritz, a comida e etc

Não sei se deixei claro o suficiente que a comida era muito gostosa. Se não deixei, vamos lá: a comida era muito gostosa. Sério.

Tinha sempre pudim nas sobremesas do jantar, que você podia se servir à vontade, então eu já fiquei muito realizada aí.

Por mim eu jantava só pudim mesmo.

E sobre a piscina, é a maior do nordeste.

Infelizmente não era aquecida. Mas não sei se isso faz falta pra alguém.

A ideia provavelmente é “você tá no nordeste, pra que água quente, minha filha?”, mas eu sou friorenta pra caramba (você pode até me ver cantando sobre como odeio frio aqui).

Como fui no “inverno” (baixa temporada, lembra?) não consegui aproveitar tanto aquela piscinona, só em horários específicos que o sol bate. Mas nos horários que o sol batia eu não tava no hotel, logo, acho que vou ter que voltar pra lá pra usar aquela piscina enorme.

Mas tem uma jacuzzi do lado da piscina que é aquecida, essa:

Tô brincando, isso é a piscina natural de São Miguel dos Milagres – que inclusive fiz o passeio porque me recomendaram lá no hotel.

A jacuzzi é essa aqui:

Em síntese: quartos, comida, atenção, vista pra um mar bem verdinho, serviço excelente, piscina gigante, mais atenção, jacuzzi, mais atenção, café da manhã com açaí e tapioca, mais atenção, jantar com pudim pra se servir à vontade e mais atenção ainda = o Ritz Lagoa da Anta ganhou meu coração, e nunca imaginei que ia me hospedar num lugar tão incrível aqui no Brasil.

Até o próximo post, e segue o 1 viagem, 2 visões no facebook, instagram e youtube também!

PS: por favor, não me julgue muito por ter ido jantar de pijama no resort 5 estrelas.

2 comentários sobre “Como é se hospedar no Ritz Lagoa da Anta em Maceió? Uma resenha franca do hotel mais famoso da cidade

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s