Como deixar seu amigo blogueiro danado da vida? Um guia em 6 passos simples

Todo mundo tem um amigo blogueiro (aquele que às vezes ouve “você é tão blogueirinha(o)” e não entende muito bem o comentário, porque realmente é).

No caso, feliz ou infelizmente, eu sou a amiga blogueira. E como também tenho outros amigos blogueiros, eles me ajudaram a perceber um padrão de coisas que acontecem entre alguns conhecidos nossos, que deixam a gente pensando “por que fazem isso?”.

Bora listar agora então, as 6 coisas que você deve fazer se não quiser ajudar seu amigo blogueiro de jeito nenhum (afinal, pra que você vai querer ajudar um amigo? tá maluco?) e de bônus deixar ele totalmente confuso.

como é vida de blogueira

[Alerta: esse post tem aproximadamente 78 kg de ironia]

Como ferrar o amigo blogueiro – Um guia que torna essa tarefa mais mole do que sentar num pudim

Passo 1: Como evitar o engajamento no instagram dele

Quando seu amigo postar uma foto, ao invés de comentar diretamente nela, envie uma mensagem privada dizendo “adorei a foto que você postou!”, mesmo que isso dê muito mais trabalho do que simplesmente comentar “adorei” na foto ali na sua frente.

Talvez você faça isso porque tá fugindo da polícia, mas mesmo se não estiver, evite colaborar com o impulsionamento da publicação do seu amigo. Afinal, quem quer que os posts dos amigos bombem? Só gente muito zureta mesmo.

Já tá errado o suficiente você seguir o seu amigo no instagram. Nem isso devia fazer. Logo, simplesmente nunca comente uma foto dele, mesmo que você veja todas.

Se pensar em compartilhar então, nem se fala… Tira esse sentimento de dentro de você, que isso não é de Deus.

Aliás, isso “se fala” sim, vamos falar sobre compartilhamentos no próximo tópico:

Passo 2: Como evitar a divulgação do seu amigo blogueiro

Pra que compartilhar aquele post do seu amigo que você achou maneiríssimo e que pode ser útil ou agradável pros outros? Continue compartilhando apenas receitas de pudins e tweets de desconhecidos que é bem melhor.

Aliás, nem pense em curtir os posts que seu amigo joga lá na página do facebook do blog. E daí que a página dele não deve conseguir alcançar nem 10 pessoas por post, porque o Mark Zuckerberg curte diminuir o alcance das páginas pra que blogueiros sejam obrigados a pagar por um alcance maior?

Vamos continuar ajudando Markinho (esse sim precisa de sua ajuda) em seus objetivos: não curta coisa alguma, pois Mark Zuckerberg precisa de dinheiro.

Por sinal, esse é o facebook do 1 viagem, 2 visões. Estou colocando aqui nesse link enorme e azul pra você não clicar nem seguir.

Mas falando sério agora, há diversos motivos robustos pra não curtir nem compartilhar os posts do seu amigo blogueiro.

Primeiro, porque convenhamos que apertar o botão “curtir” dá um trabalho desgraçado, toma um tempo enorme e gasta muitas células do seu dedo. Depois, porque é melhor curtir apenas posts políticos com os quais você concorda, e você já teria gasto muitas células – que não se renovam, veja bem, vamos economizar essas células – curtindo o post de um amigo que é mais legal que um político.

E por último, porque ajudar amigos a pagarem as contas ou alcançarem os objetivos deles não tá com nada. Vá comer um pudim que você ganha mais com isso.

omo é vida de blogueira e como não ajudar sua amiga blogueira 1 viagem 2 visoes.jpg

Mas coma sozinho, não chame o amigo blogueiro também. Todos sabemos que compartilhar não é coisa de Deus. Nem post, nem pudim.

E já que falei em “pagar as contas” ali em cima…

Passo 3: Como evitar que seu amigo pague as contas

Nem pense em reservar um hotel pelos links do seu amigo. Ao invés disso, pague o exato mesmo valor reservando pelo site sem redirecionamento. Assim você evita que seu amigo ganhe comissão. Afinal, quem quer reservar um hotel e ajudar pessoas de bônus? Tem que ter fumado banana pra querer uma coisa dessa.

Os meus links aqui no 1 viagem, 2 visões, como por exemplo, esse, estão só de enfeite aí, você nem pense em clicar neles, por gentileza. Tome tenência e vá reservar direto pelo site da Booking pagando o mesmo preço e evitando que eu ganhe qualquer coisa.

Passo 4: Como diminuir o trabalho do seu amigo

Todo mundo sabe que fazer dinheiro hoje em dia é muito fácil. Basta espirrar que, com um pouco de sorte, já saem 500 reais do seu nariz (em dias de menos sorte, uma média de 20 a 50 reais). Toda crise de sinusite eu fico rica, e você?

Então pra deixar seu amigo blogueiro bem danado, basta você falar que ele ganha dinheiro fácil/o trabalho dele é moleza. Afinal, além de fazer dinheiro ser fácil (quem nunca teve uma nota de 100 caindo de um coqueiro na sua cabeça que atire a primeira pedra), depreciar o trabalho dos outros é sempre uma coisa bonita, digna e elegante como a Gisele Bündchen de se fazer (obs: acho que eu não sei escrever Gisele Bundchen, alguém me corrige se estiver errado).

Mesmo que seu amigo tenha dois trabalhos, e consequentemente trabalhe no blog nas horas e dias de folga, porque dificilmente dá pra viver só de blog, e blogs em regra acabam sendo só um complemento de renda – não se esquece do tópico 3, que você também não pode ajudar o blog a monetizar clicando nos links, hein. Dá mole pra esse blogueiro safado não.

[E de bônus, sobre o tema “pessoas que acreditam que é fácil viver de blog”, recomendo a leitura desse post aqui].

Passo 5: Como depreciar o trabalho do seu amigo quando o blog dele cresce

As exceções de blogueiros que conseguem se manter puramente com o blog, você pode  tratar totalmente como um trabalho muito fácil, e dizer que seu amigo só “ganha dinheiro pra viajar e não fazer nada”, por exemplo.

Ele deve ficar muito feliz de ouvir isso, mesmo que blogueiros passem muitas horas por dia fazendo apenas o seguinte:

  1.  redigindo os textos enormes (e muitos textos) – o que leva horas;
  2.  respondendo e-mails, DMS e comentários com dúvidas – que também leva horas;
  3.  editando, redimensionando e selecionando as fotos pra cada post – que veja só, também leva horas;
  4. divulgando posts;
  5.  atualizando pelo menos 4 redes sociais, e adaptando e editando os formatos de cada mídia pra cada rede;
  6. editando vídeos;
  7. tendo que aprender todo dia algo novo de SEO, html, e afins;
  8. encarando problemas com hospedagem, leitores trolls (por sorte a maioria é amável e gentil pra caramba), pagamento de comissões, servidor caindo e mais afins;
  9. revisando mais de 100 textos antigos pra adaptá-los a novas sacadas do Google que surgem todo dia, ou atualizando informações compartilhadas com os leitores;
  10. trabalhando com as parcerias de hotéis, seguros, passeios e afins;
  11. …e respondendo umas propostas meio absurdas que surgem por e-mail (algumas são quase tipo “topa divulgar isso de graça pra mim? em troca eu… ganho dinheiro”)… e recebendo tanta proposta absurda que às vezes não dá conta de ler os e-mails e acaba não conseguindo ler as propostas boas;
  12. tentando dar conta de ler/apagar todas as Direct Messages estranhas de indiano, russo e turco, pra conseguir ler as que não são estranhas (muitas vezes falhando, e a caixa de DM do instagram virando um buraco negro onde quase tudo se perde);
  13. produzindo vídeo pro story, vídeo pro IGTV, vídeo pro youtube, vídeo pro feed do instagram, vídeo pro facebook – porque quase todas essas titicas tem formatos e regras de tempo diferentes (esse eu nem tento/aguento fazer tudo);
  14. e tem muito mais, vou parar por aqui porque acho que já deu uma noção de como seu amigo não faz nada. Até porque todo mundo sabe que dia de blogueiro tem 78 horas e ele dá conta de fazer tudo isso aí. Difícil é só pras pessoas normais que tem um dia de apenas 24 horas.

Você ficou cansado só de ler a lista aí em cima e deve ter passado o olho rápido, mas é claro que seu amigo blogueiro não fica cansado de fazer as coisas da lista, porque todos sabemos também que blogueiros são X-Men, além de terem dias mais longos.

Aliás, desenhei um auto-retrato meu aqui pra você ver como eu sou:

como é a vida de blogueira de viagem jubileu xmen 1 viagem 2 visoes
tô bonita?

Vida de blogueiro tá fácil mesmo. Logo, vamos ajudar a dificultar e depreciar, porque ninguém veio ao mundo a passeio.

Passo 6: Como evitar se sentir bem pela felicidade do seu amigo

Se você já se perguntou se é estranho que você acompanhe as viagens da Bruna Marquezine com muita empolgação, mas quando vê uma foto de viagem do seu amigo pensa “narf, que raiva”, segue resposta: sim, é estranho.

Algumas pessoas até tem vontade de parar de seguir, porque, por algum bug comum da mente humana, se sentem mal vendo que os amigos viajaram.  Em síntese: pessoas se sentem mal por verem pessoas que elas gostam felizes (mas ver a Marquezine em Santorini é bom demais).

Colocando nesses termos, e parando pra pensar, não faz sentido nenhum, mas infelizmente é mais comum do que a gente imagina.

como é a vida de blogueiro 1 viagem 2 visoes.png
fotos do instagram da Marquezine e do meu respectivamente (que eu nem vou gostar se você seguir não, não segue, por favor)

O ideal seria que você ficasse feliz por alguém que você ama ter conhecido um lugar legal e estar compartilhando dicas de lá, de como economizar pra viajar pro lugar dos sonhos, e fotos bacanas (fotos que por sinal, devem ter dado um trabalho lascado pra tirar, achar o ângulo certo, entregar na mão de um estranho com medo que ele saia correndo com a câmera na mão e rezar pra ele tirar a foto no ângulo que você entregou ao invés de errar e mirar pro seu pé…).

Mas já que não vivemos num mundo ideal, e muitas pessoas se incomodam com a felicidade do amigo, segue um mantra pra você sempre repetir: o fato do seu amigo ter viajado não impede que você viaje também (e você pode até viajar com ele um dia, ou aproveitar as dicas na tua viagem).

Também não faz dele mais feliz do que você, e pode ter certeza que ele também tem problema na vida. Se estiver duvidando, leia: a história de Jucimara, a blogueira de viagem que nem viajava tanto assim.

Às vezes a viagem linda que você tá vendo foi um alívio em meio a um turbilhão de problemas que todo ser humano tem, e por isso ele tá exteriorizando tanta alegria – já pode ficar feliz por seu amigo agora.

MAAAS, como estamos falando de “como deixar seu amigo blogueiro mal”, claro que você não vai ficar feliz por ele, e ao invés disso vai acompanhar só as viagens de atrizes globais com entusiasmo, não é mesmo? É ruim, hein, ficar feliz pelo seu amigo. O negócio é torcer por Marquezine e Neymar sempre juntos em Ibiza, Santorini e Noronha. Deus abençoe essa união.

Conclusão desse guia

Essas foram as dicas apolíneas, lindas e infalíveis pra você não ajudar seu amigo blogueiro nunca na sua vida. Espero que eu tenha te ajudado a não ajudar, e se tiver outra dica pra sugerir (ou se você for um blogueiro que sabe de outras formas pra ficar meio mal), é só enviar nos comentários!

E segue o 1 viagem, 2 visões no facebook, instagram e youtube pra ver mais! Aliás, não segue não, que aí você estaria me deixando feliz. Deixa. : | Siga esse site de pudim ao invés disso.


Leia também: 9 verdades cruéis do instagram (ou “como conseguir seguidores”)

33 comentários sobre “Como deixar seu amigo blogueiro danado da vida? Um guia em 6 passos simples

  1. Nossa, eu já falei aqui como amo ler seus textos! Acho eles demais! E esse aqui não podia me representar mais, como blogueira de trabalha das 8h às 18h na vida e das 19h às 1h no blog (hahah) e tudo que eu peço é a difícil ajuda de clicar no meu linkezinho do booking, mas clicar no site dele direto é sempre mais fácil, então tenho que ser compreensiva também

    Curtido por 1 pessoa

  2. Perfeito!!! E quando a gente passa todas as informações, ajuda a escolher hotel, mostra que pelo blog dá para propor um valor melhor de câmbio e o amigo ama as dicas e fecha tudo diretamente? Fico até emocionada, afinal, nem preciso mesmo de dinheiro, já sou milionária, pois viajo pra caramba!!! Kkkkk amei o post…

    Curtido por 2 pessoas

  3. Ótimas dicas pra não ajudar o amigo blogueiro, pois é tão difícil e exige tanto esforço, esse ricos que só viajam e não fazem nada da vida. (A ironia do seu texto é contagiante hahahahaha)

    Curtido por 1 pessoa

  4. Cliquei no link compartilhado pela Moreira Mathiessen (acho que escrevi errado kkkk), e estou dizendo publicamente que ADOREI! Não sou blogueira de viagem, mas já “me aproveitei” desse “hobby” de vocês muitas vezes, desde quando a Internet era mato e nem existiam blog de viagens… e o Conexão Paris era o único que dava dicas de lá (porque a Lina mora va/mora lá).
    Comecei a ler porque sou blogueira de “blog normal” (diário não tão diário da minha vida e dos meus pensamentos -Meu blog não é monetizado, mas tb não é hobby. É terapia.)mas é bem assim mesmo.
    Sucesso aí com seus “amigos”. Beijo!!!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s