Como “fugir” do carnaval?

Eu nunca entendi bem quem diz que odeia o carnaval. Gosto é gosto, verdade, mas bem ou mal o carnaval rende vários dias de folga, que podem ser aproveitados tanto por quem gosta da folia, quanto por quem tem total pavor de passar perto de um bloco.

No carnaval dá pra ter overdose de netflix, dá pra sair fantasiado até pra ir na farmácia e fazer os outros rirem, dá pra viajar… dá pra muita coisa. É um período bom tanto pra descansar, quanto pra se quebrar de tanto pular marchinha. A gente que escolhe.

No entaaanto, eu tenho começado a entender como pode ser horrorosamente incômodo, naqueles momentos em que você não tá nem um pouco no clima pra lidar com muvuca e barulheira. Se você morar numa cidade que ferve no carnaval e não viajar, tá meio lascado.

A menos que você não saia de casa e se tranque no quarto com um estoque de comida pra dias e fone de ouvido, você vai ter que lidar com multidões ensandecidas de princesas da Disney bêbadas, marinheiros, policiais sem camisa e Minnies, cantando “olha a cabeleira do Zezé”, tropeçando em você (ou se jogando em você), e tornando até a tarefa de andar na rua e pegar um ônibus pra se deslocar pra outro lugar complicada.

Então resolvi escrever o compilado a seguir, que tá mais pra um “desabafo”, e quem quiser acrescentar mais dica do que faz pra sobreviver, fica à vontade no comentários lá em baixo!

Como fugir do carnaval – ou aproveitar mesmo quando a gente não tá afim de “alalaô”

1. Agora é a hora do Netflix and chill (e de terminar de ler aquele livro sensacional, de tirar o atraso do sono, de ouvir música gostosa o dia todo…)

A gente passa todos os dias normais pensando em como gostaria de sentar e assistir aquelas 8 séries atrasadas, comendo apenas pringles, bis, e baconzitos, tomando guaravita só de pijama velho e meia pela metade no pé, e de repente, quando finalmente chega a oportunidade de fazer isso… a gente fica reclamando de “ai, não tem nada pra fazer no carnaval”.

O ser humano é mesmo um bichinho ingrato. A gente tem essa tendência natural à ingratidão e sensação de “tédio” mesmo quando se tem 200 coisas pra fazer.

Agora é a hora de compensar o sono atrasado, é a hora de terminar aquele livro parado na metade que a gente nem lembra direito mais da outra metade, é a hora de encontrar aquele amigo que você tá com saudade mas nunca tem tempo pra ver porque os dois trabalham, estudam e fazem 3 cursos de pintura em porcelana e corte e costura, e AGORA FINALMENTE ESTÃO DE FOLGA POR DIAS SEGUIDOS, é a hora de zerar um dos 70 jogos na sua lista da Steam que só acumulam e você não tem vergonha na cara e ainda tem mais 92 na wishlist.

Agora é a hora do “vamo marcar” virar “vamo daqui a 1 hora, eu de she-ra, você de robocop”. Então faça bom proveito, de verdade, dos dias livres que o carnaval te proporciona.

É bom fazer uma lista antes do carnaval começar, com as coisas que a gente tá com vontade de fazer, desde tirar o atraso dos estudos até aquele programa gostosinho tranquilo com um amigo, e ter uma meta de concluir pelo menos algumas delas.

Se o carnaval já começou, faz uma listinha agora, e repara como tem coisa que a gente quer fazer mas nunca tem tempo, e agora finalmente o tempo chegou…

2. Evite o transporte público

Ou prepare-se pra ser espremido no metrô por Batmans e He-mans cantando “você pagou com traição, a quem sempre lhe deu a mão”.

Tem vezes que você vai precisar passar por isso, é inevitável. Nessas horas o ideal é levar uma orelha de coelho ou uma máscara de zorro dentro da bolsa, tirar, e começar a cantar junto. Vai tornar sua viagem mais prazerosa, e de repente você entra no clima também.

3. Se você mora no Rio de Janeiro, Recife ou Salvador, por exemplo…

Cogite fugir logo da sua cidade.

Parece trágico, mas é o mais eficiente: essas cidades são algumas das que mais fervem no período – não que alguma fique morna, acho que no carnaval o Brasil quase todo ferve – e vai ser bem difícil até ir na padaria sem ser atacado por um policial usando saia de tule rosa, asa de fada e colar havaiano ao mesmo tempo, cheirando a Cintra, e comentando como é sensacional sua fantasia de anjo steampunk – mesmo que você não esteja fantasiada.

O Rio de Janeiro, por exemplo, é o paraíso pra quem gosta de folia e quer um carnaval animado, com 300 opções diárias de onde pular, pra todos os gostos. Mas pode ser o pesadelo pra quem não tem o menor interesse em pular coisa nenhuma.

Se você estiver lendo isso só em cima da hora, ou durante o carnaval, é provável que uma viagem pra um lugar mais tranquilo agora já seja inviável, mas fica a sugestão pro próximo: a melhor coisa é realmente planejar com antecedência e reservar tudo antes que a oferta e procura faça os preços de hospedagem e passagem ficarem insanos.

E se você já sabe que a sua cidade sempre ferve no carnaval – o que é ótimo pra quem ama a folia, mas uma amostra do inferno na Terra pra quem não ama – não faz sentido ficar postergando a decisão de viajar, se você tiver condições pra isso, pra depois pensar “putz, eu devia ter viajado mesmo”.

4. Faça compras com antecedência

Essa lista provavelmente tá sendo bem cruel com todo mundo que veio ler durante o carnaval com alguma esperança de amenizar o sofrimento. Mas é fato que no carnaval, se você morar em alguma cidade extremamente visada por turistas, pra qualquer mercado que você for vai ter uma fila enorme de piratas e marinheiras comprando cerveja e mantimentos pros seus respectivos barcos.

Uma solução pode ser comprar de manhã bem cedinho, ou de noite, quando os piratas já estão cansados de pular….

E por falar em horários…

5. Lembra disso: de dia é sempre pior

Se você quiser fazer qualquer coisa no carnaval sem ter que passar por caixas de som ensurdecedoras e uma multidão frenética no confete, serpentina e espuma, de dia é o pior momento pra isso. De noite as pessoas já costumam estar mais cansadinhas, e você só vê Brancas de neve com maquiagem derretendo e exaustas, ao lado de bombeiros sem camisa que já não aguentam mais salvar ninguém.

Deixa pra sair de casa, se possível, em algum horário depois das 20 ou antes das 11:00.

6. Existem programas tranquilos pra se fazer

Já tem um post aqui sobre os programas bem tranquilos e gostosinhos pra se fazer no Rio de Janeiro, por exemplo. Mas eu não quero iludir muito ninguém com esse tópico:  a verdade é que o mais sossegado dos programas não vai estar exatamente sossegado, já que vai ter pelo menos 120 pessoas pulando alucinadas de peruca rosa.

7. Se rende, improvisa uma fantasia e vai pular também

Às vezes não tem jeito mesmo não.

Por enquanto acaba aqui a lista, mas quem tiver outra dica, manda aí embaixo!

3 comentários sobre “Como “fugir” do carnaval?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s