20 coisas que eu gostaria que tivessem me avisado antes de ir pra Colômbia

Quem já sabe dos 10 lugares totalmente encantadores que a Colômbia tem pra oferecer (que na verdade são muito mais de 10, mas minha mão pediria arrego se eu fosse escrever sobre 450 lugares de uma vez), provavelmente já se convenceu de que  valendo muito a pena conhecer esse país.

A Colômbia, além de ser cheia de destinos lindos, tem um povo encantadoramente receptivo, não é um destino muito caro pra se viajar – com pesquisa e planejamento, pode sair bem em conta – e além de tudo vai quebrar totalmente o estigma de “VOCÊ TÁ INDO PRA LÁ?! QUE PERIIIGO!!!” quando você for (mas infelizmente ouvi isso antes de ir, e ainda ouço depois de voltar…).

Mas antes de ir, é bom ler algumas dicas que podem ser banais, mas que me fizeram falta nesse país delicioso.

20 dicas sobre a Colômbia que eu gostaria de ter lido antes de ir

1. Leve adaptador de tomada. Taí um negócio que eu sempre esqueço, e sempre faz falta. O padrão na Colômbia é diferente, e se você chegar de noite/madrugada, nem sempre vai encontrar perto de você uma loja aberta e chamada “absolutamente tudo que você precisa, seu esquecido, inclusive adaptadores”.

img_20161021_145059714_hdr
As casinhas charmosas de La Candelaria em Bogotá

Chegando no Aeroporto:

2.  No aeroporto El Dorado o wi-fi até pega bem na fila da imigração (aproveita pra dar notícias de “cheguei/tô bem” enquanto espera na fila, e terminar de disponibilizar offline todas as informações de que pode precisar), e depois dali o sinal desaparece.

3. A fila da imigração no aeroporto de Bogotá (que em regra vai ser sua sua porta de entrada no país) é sempre bem grande e demorada. E vai ter fila grandona pra sair do país também, por isso chegue no aeroporto com o máximo de antecedência que puder.

ruas-coloridas-guatape-colombia-proximo-a-medellin-turismo
a beleza de Guatapé, uma das cidades mais coloridas de toda a Colômbia

4. LEVE CANETA, porque ao chegar você tem que preencher aqueles formulários de imigração de sempre, e não vi nenhuma disponível lá pra usar. É igual ao formulário de entrada em qualquer país, informando o endereço de onde vai ficar hospedado (tenha anotado/offline, caso seu celular descarregue ou fique sem wi-fi), se tá carregando algo de muito valor, nome, número do documento, etc, etc.

5. A altitude em Bogotá rende bastante problema digestivo, então é bom colocar um floratil ou algo parecido na bolsa.
E coma pouco. Não se renda a comer até se sentir muito satisfeito, pare antes disso.

6.  Além do floratil, é realmente importante colocar uma muda de roupa na sua bagagem de mão. Isso porque a maioria esmagadora dos vôos pra Colômbia fazem alguma conexão, e nessa conexão a bagagem pode ser extraviada… infelizmente, rola bastante. Pra sobreviver na viagem enquanto a mala não chega, é bom ter umas roupinhas e itens mais necessários contigo.

7. Quem vai pra Colômbia não costuma pensar que vai precisar bastante de agasalho (preferencialmente com capuz) e guarda-chuva, mas na capital você vai precisar mesmo. Lá é bem frio e chuvoso quase o ano todo.

mirador-de-medellin-no-pueblito-paisa
Peguei dias nublados e chuvosos em Medellín também – que ainda assim é MUITO adorável, como já falei 370 mil vezes aqui

8. Passe protetor solar sempre que sair, mesmo se estiver nublado. A altitude queima ainda mais, e rende surpresas quando você chega de noite e se olha no espelho. Não só a altitude, mas se você estiver no caribe colombiano ou qualquer outra cidade, é evidente que precisa passar bastante.

9. Compre logo um chip assim que chegar no seu destino. Faz muita falta. O wi-fi funciona em alguns lugares, mas notei que celulares sem chip da Colômbia às vezes tem mais dificuldade pra pegar o wi-fi nos lugares. Além disso, em alguns aeroportos e terminais rodoviários, a conexão é bem ruim e só pega em alguns cantos.

10. Uma notícia triste pra gente que vive no Brasil, e ao mesmo tempo “boa” pra te tranquilizar antes da viagem: existe um ranking de “países menos recomendados para mulheres viajantes”.
A parte triste: o Brasil tá bem lá em cima na lista, sendo um dos destinos menos recomendados pra mulheres em viagens.  A notícia “boa” pra quem vai viajar pra Colômbia: ela tá melhor do que nosso país nesse ranking aí.
O assédio lá de fato existe e pode vir a ser incômodo pra c*ralho, mas não é pra deixar o nível te intimidar e menos ainda te fazer desistir da viagem.

img_20161017_145605038_hdr

11. Voltando ao tema “wi-fi”, o Café Juan Valdez, espalhado por todas as cidades da Colômbia, é muito gostoso e tem wi-fi bom e sinal aberto.

12. E por falar em Juan Valdez, peça pra se inscrever no “programa de fidelidade” do Café, assim que fizer sua primeira compra. Você vai acabar indo muito lá, e esses pontos de fidelidade podem te render descontos ou até cafézinhos de graça.

13. Em vários lugares você vai precisar do espanhol pra se comunicar, e em muitas cidades pequenas as pessoas não falam inglês.

O português é de difícil compreensão pra eles, até palavras que você acredita que são muito parecidas. Isso acontece especialmente nas cidades menores, como Santa Fé de Antioquia e Guatapé (que definitivamente valem a pena conhecer).

É óbvio que sempre dá pra se virar com mímica, desenhando, ou até brincando de “imagem e ação”, visto que a gente vai até pra Hong Kong e sobrevive, mas um vocabulário básico de espanhol facilita pra caramba a viagem.

img_20161021_151208799_hdr
La Candelaria, em Bogotá

14. Óculos escuros. Não esquece. Não só porque os raios solares são ainda mais cruéis na altitude, mas porque você vai querer abrir os olhos pra conseguir ver aquelas paisagens lindas, e às vezes o sol não deixa, seja na altitude ou não. Se você esqueceu, quando for comprar é só pedir por “gafas de sol”.

Precisa de passaporte pra entrar na Colômbia?

15. Não, mas caso tenha, leve seu passaporte. Dá pra entrar lá com a identidade, mas com o passaporte pode ser muito mais prático e rapidinho.

Ainda mais se for o passaporte novo, com chip: tem filas só pra ele em alguns aeroportos, já que ele passa automaticamente.

Além disso, alguns hotéis podem te liberar de pagar algumas taxas se você mostrar o passaporte lá.

subir-a-piedra-del-penol-em-dia-nublado-na-colombia
Vista da Piedra del Peñol, em Guatapé

16. Acho que já falei muito isso aqui, mas sempre vale repetir: caso passe por Bogotá (e muito provavelmente passará) você vai estar a mais de 2.600 metros de altitude. Essa altitude toda, que a gente definitivamente não está acostumado no Brasil, pode causar muitas (muitas…) reações desagradáveis. Uma forma de se prevenir das consequências do oxigênio escasso é evitando esforço físico nos primeiros dias. Não saia sassaricando no primeiro dia, por mais tentado que você fique, tá? Você precisa se aclimatar antes.

Chegue em casa/no hotel/no hostel, dê uma descansadinha da viagem longa, faça refeições leves (LEVES! LEVES!!!) e no máximo uma caminhada pra conhecer as proximidades. Não fica pensando “baah, eu tenho fôlego”, porque até jogadorzão de futebol passa mal, e até guias profissionais de alpinismo já morreram devido ao mal da altitude, em casos mais graves que vieram a causar edema pulmonar ou cerebral.
Você pode vir a ser um dos sortudos que não sente absolutamente nada, mas não joga com a sorte e com a sua saúde.

medellin-deliciosinha
As esculturas de Botero na deliciosa Medellín

17. Além do cartão de crédito, vale a pena levar dinheiro também. Boa parte das cidadezinhas pequenas (e você vai querer conhecê-las, tem diversas adoráveis – listei várias no link lá no começo do post) tem muitos estabelecimentos que não aceitam cartão. Antes de ir pra elas, troque seu dinheiro e leve o tanto que achar que vai precisar.

18. A cotação em Bogotá em regra é melhor do que nas outras cidades. Se quiser trocar uma parte logo no aeroporto (trocar no aeroporto nunca costuma ser muito recomendado, mas se estiver com pressa e não tiver opção…), a cotação (no final de 2016) era de 750.

img_20161018_182918343_hdr

19. Espero que você goste de rumba, vallenato, reggaeton e todo tipo de música latina dançante que existe (não sei como não gostar), porque é isso que vai estar tocando em quase todo lugar.

20. Não cometa a heresia de não provar a limonada com coco, que também tem em todo restaurante, de qualquer cidade da Colômbia.

Deve ser minha sugestão mais do fundo do coração nessa lista.

limonada-com-coco-no-cafe-botero-em-medellin-colombia
o momento mágico em que descobri a limonada com coco

Menção honrosa: O Dilvo do Meras Crônicas acrescentou mais uma nos comentários que mereceu vir pra cá.

“21 – A Shakira não mora mais em Barranquilla. Nem adianta procurar a casa dela por lá”

[Atualização em julho de 2017: não esquece que a partir desse ano você também precisa do certificado internacional de vacinação contra a febre amarela antes de ir pra Colômbia! Se você já estiver de viagem marcada, não deixa pra resolver isso em cima da hora, porque a vacina tem que ter sido tomada pelo menos 10 dias antes da sua viagem!]

Boa viagem, e qualquer outra sugestão/dúvida/dica, fica à vontade pra acrescentar nos comentários!

E siga o 1 viagem, 2 visões no facebook e no instagram pra receber mais delas (ou só pra deixar a gente feliz mesmo)!


Leia também sobre:

  1. Os melhores (e os piores) lugares pra se hospedar em Bogotá
  2. Primeiras impressões da capital da Colômbia
  3. 6 BONS motivos pra conhecer Medellín
  4. “A vista mais bonita” de acordo com os colombianos

14 comentários sobre “20 coisas que eu gostaria que tivessem me avisado antes de ir pra Colômbia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s